A vida é algo tão efémero não é? É frágil, tocável...é tão fácil simplesmente desvanecer. Não dura para sempre, não somos eternos…e tomamo-la como garantida não é?
 
Achamos que estaremos sempre cá, e que os nossos sempre nos acompanharam. Mas tristemente não acontece e quando nos deparamos com a dureza da sua fragilidade, percebemos o quão ingénuos e quebráveis realmente somos.
 
O seu leve sorriso doce ficará para sempre gravado na minha memória. O seu toque caxemira, o seu terno olhar com brilho de menina, a sua forma delicada e frágil, de uma inocência e bondade quase angelical.  Mulher, Esposa, Mãe e Avô, ela parte deixando a saudade de quem deveria ter visto mais, de quem poderia ter sido mais, mas quem definitivamente é o mais.
 
Para si Dª V. um beijo terno na testa de quem teve o privilégio de a ter conhecido e reconhecido. Para sempre e com saudade,
 
Tânia
música: 42 - Coldplay
publicado por Ange às 09:00